Amor: o mesmo velho clichê


Pra ler ouvindo: Amar es - Pimenta Buena

Recentemente aconteceu comigo uma das coisas mais clichês da vida. Mas sempre fui da opinião de que clichês só o são por algum motivo muito forte e, não sendo eu diferente de ninguém, o clichê bateu na minha porta, eu abri e ele bagunçou a minha vida.

De todos os clichês, logo o meu preferido veio me procurar: o amor.
Me peguei precisando ouvir os conselhos mais óbvios, tal como 'Coisas ruins acontecem para que coisas boas possam aparecer' ou 'Uma porta se fecha mas uma janela se abre'. Tudo se torna mais importante, mais sério quando se trata da nossa vida, não é?! Afinal, só queremos ser felizes. Eu quero.


A felicidade é tão estranha. Ela pode estar do nosso lado e a gente não perceber; enquanto ela está esperando, quietinha, a gente está lutando para conquistá-la quando bastava desviar a direção. Tenha essa coragem! A coragem de mudar o rumo, de encerrar ciclos e começar histórias novas. Busque conhecer seus sentimentos e suas vontades e evite ao máximo negá-las porque, no fundo no fundo, a gente sempre sabe. Às vezes, é tudo questão de fechar os olhos e sentir, deixar-se levar.

Eu me deixei levar. Foi ótimo! Mas depois foi sofrido. É porque todos nós sempre arrastamos junto nossa mala de bagagens e lembranças, por vezes pesada demais, por vezes leve demais. Não jogue fora nada dessa mala! Todos os mínimos detalhes que ali estão, tornam você quem você é hoje. Mas tenha a coragem de guardar tudo lá dentro e levantar acampamento. 

O amor bagunça, o amor dói (dói, sim!), o amor te faz perder o rumo. Mas o amor é tão incrível que você nem vai lembrar de trocar a lâmpada da sala que está queimada, não vai se importar com sujeira da casa, não vai querer mais nada a não ser amar. 

"O amor não pede licença. [...] O amor bagunça tudo. [...] O amor se reconhece." 
- Fernanda Mello

Obs.: Que sumiço enorme, ein, gente! Acredito fazerem anos que não sumo por tanto tempo aqui do blog e, tenham certeza, estou MORRENDO de saudades!
Mas o amor bagunçou minha vida. Faz parte!
O importante é que a fase ruim já passou e eu estou de volta. Mais feliz ainda, mais apaixonada pela vida ainda!

Diário: Fotos, Mais Fotos e Chácara


Acabou abril, gente! Ano voando, meses voando e eu estou aproveitando muito, ainda bem!
A semana que passou foi agitadíssima por conta das fotos de formatura e do feriado mas a segunda-feira foi bem normal - aula, academia e limpar a casa. Não tirei fotos mas fiz vlog (se tiver ficado bom, em breve por aqui!).


Terça e quarta foram os dias das fotos. 
Na terça, tínhamos as fotos da turma. O dia começou às 8h30 no Espaço Gutto Pereira onde fiz make e cabelo. Ondas soltas foi a minha óbvia escolha para o cabelo e, nesse primeiro dia, quis uma make beeem dramática pra destacar mesmo que as fotos fossem de longe. 
Após alguns entretempos, começamos a sessão de fotos na Charqueada São João (lugar maravilhoso!) por volta do meio-dia e eu fiquei exausta! Cada foto exigia um bom tempo até toda a turma ficar bem posicionada e arrumada; foi divertido mas muito cansativo.
No final da tarde, ainda fomos para a faculdade para mais umas fotos rápidas na frente desse prédio histórico lindo da foto.
Tiramos fotos de jaleco, toca e com a roupa preta. Optei por uma calça social de corte flare - porque alonga e valoriza meu corpo -, blusa preta com detalhe discreto e salto alto mas grosso (melhor escolha da vida para pisar em grama e ficar muito tempo em pé!).


A quarta foi um pouco mais tranquila mas tinha o cansaço acumulado do dia anterior.
Dessa vez, fui para o salão ao meio-dia e fiz uma make em tons de marrom lindíssima; não queria mais tirar! E as fotos começaram às 14h de novo lá na Charqueada.
Nesse dia, as fotos eram com os grupos pequenos e individuais. Rolou até emoçãozinha em colocar a toga e segurar canudo! Ah, preciso explicar isso pra vocês: aqui na UFPel, tiramos as fotos para a formatura dois anos antes (!!) porque a partir de agora vamos estagiar e a turma acaba se separando, ou seja, a formatura mesmo demora ainda.
Ao encerrar as fotos na Charqueada, ainda teve sessão na faculdade e no hospital. As fotos do hospital devem ter ficado incríveis, estou muito curiosa pra ver!
Ao fim desses dois dias, óbvio que desmaiei, né?! Como eu falei, nasci pra ser médica e não modelo hahaha.


Eu que jurei que iria para a academia na quinta de manhã, mal consegui acordar a tempo de arrumar a mala e pegar meu ônibus para ir até Flores da Cunha visitar os pais. 
Viajei o dia inteiro e cheguei lá de noite com aquele frio típico da serra. Como pode ser tão frio lá, gente?
Pelo menos, meu pai garante que a lareira permaneça o inverno inteiro funcionando e eu fico realmente na frente dela. 


Toda a minha família rumou para Nova Roma do Sul na sexta. Meus pais estão arrumando um cantinho no meio do mato para eles por lá. Só que antes de ter tudo pronto e lindo como imaginamos que ficará, tem muito trabalho!
Colocamos todos a mão na massa - e na madeira e telhas e pregos. Vocês podem até não acreditar mas fiquei irreconhecível e fiz muita força como há tempos não fazia. Foi cansativo mas gratificante ao mesmo tempo.
Voltei para Flores da Cunha com o Denis ainda no final do dia.

O final de semana passou como deveria: matando a saudade das pessoas que amo, descansando, estudando (tenho 3 provas essa semana sendo uma amanhã, SOCORRO!), "aproveitando" o frio e saindo da dieta.


E domingo é dia de? Voltar para minha casinha amada. Adoro ficar fora mas adoro voltar pro meu cantinho amado. 

A semana vai ser corrida com bastante provas e retomada séria da dieta! Mas espero que seja incrível pra vocês e pra mim.
Beijão.

Tons Claros para o Inverno


Eu adoro ficar por dentro das tendências, seja para odiá-las ou para usá-las antes da maioria. Torço por tendências que me agradam (ponchos, voltem, por favor!) porque assim acabamos encontrando mais opções nas lojas e fecho os olhos sem voltar para atrás para as que me desagradam (colar de "tatuagem" da adolescência, não, obrigada!).
Gosto ainda de ler revistas de moda especialmente pelo motivo de me antecipar. Já havia lido sobre o uso dos tons claros para o inverno e achado muito interessante porque uso praticamente só preto no frio porque é basicamente esse meu humor hahaha. 
Logo após, vi vários looks da Camila Coelho exatamente com essa tendência e pirei com as sobreposições e combinações. 

Logo, cá estou para dividir com vocês minhas vontades, preocupações e amores por essa tendência que pretende sofisticar e animar os looks do inverno que está chegando (GOT feelings).

Já que falei da Camila, melhor começar com os looks incríveis dela.
A cartela de cores é simples: branco, rosa bebê, azul claro, cinza e camelo.
A primeira peça que chama a minha atenção nesses looks é a calça branca - item indispensável em um guarda-roupa mas que eu não tenho e nunca provei porque já imagino o quanto vou achar minhas coxas enormes -; mas ela é a forma mais fácil de construir um look todo clarinho. Ah, um jeans com lavagem beeem clara ficará bom também.
Além disso, os acessórios marcantes. No inverno, mais do que nunca, a roupa precisa cumprir uma função - nos manter aquecidas e, entre a peça mais fashion e a mais quentinha, sempre fico com a última. Mas os acessórios podem trazer interesse - o cachecol, o chápeu, a bota over the knee e o óculos coloridão.

Mas nem só de calça branca vive o inverno.
É possível montar produções lindas com saias e vestidos de corte reto. Inclusive, esse look com o vestido é um dos meus preferidos!
Camila sabe montar sobreposições. Na real, acabo achando exagerado dois casacos abertos mas são justamente eles que fazem que o look seja incrível. Quero aprender a fazer mais isso. 

Você não precisa ter botas claras para fazer a produção - até porque, sejamos sinceras, botas pretas sujam bem menos e são mais fáceis de encontrar. Botas marrons como a da Ale Ambrósio ficam incríveis e até mesmo tênis brancos conseguem compor o look.
Nessa nova leva de inspirações, as três apostaram no cachecol, uma peça que eu acho super certeira porque traz muita informação de moda (chique!) para o look e é um item que eu sempre busco usar para proteger pescoço e orelhas. E, pra mim, quanto maior, melhor. 

Como os tons claros parecem trazer mais chiqueza ao look, não é?
Casacões claros são liiindos! Demorei anos para convencer minha mãe a me dar um mas ano passado venci a guerra haha. Morro de medo de sujá-lo, ele é meu xodó e já estou animada para tentar com outros tons claros. 
Outro item que compõe muito bem são os coletes, especialmente os de pelo para o inverno. Tenho um preto (look aqui) mas estou morrendo de vontade de um branco. Veremos.

O que vocês acharam dos looks? Ficaram com vontade de recriar?
Eu fiquei com muita vontade porque penso que qualquer coisa diferente das cores escuras para o inverno, acabam chamando a atenção e ficando lindas. 
Acho que é agora que provo uma calça jeans branca hahaha.

Beijos.

Fotos: Pinterest e Super Vaidosa

Diário: Estudos, Filme/Série e DMAE


Como semana passada não fiz resuminho porque estava estudando para uma prova, vou colocar hoje algumas fotos antigas que tem a ver ainda com essa semana.


No sábado passado, eu e namor fomos ao cinema ver Velozes e Furiosos 7. Eu nunca tinha visto nenhum filme por completo e confesso que só queria ver mesmo para me despedir do Paul Walker que fez parte da adolescência haha. Mas acabei adorando o filme - e até me emocionando (a despedida ficou incrível demaaais) - o que gerou vontade de entender todos os detalhes da série. Sendo assim, fiz uma maratona e assisti a todos os filmes. A parte da velocidade e dos carros é o que menos me interessa, contudo, gosto da construção dos personagens, dos draminhas e fiquei apaixonada, queria mais hahaha. Tirei print dessa cena porque adoro Dominic Toretto - e Vin Diesel -, adoro Lety e adoro o casal!


A primeira foto é de sexta-feira (17) quando iniciei os estudos para a prova enquanto esperava o Denis chegar de viagem. O estudo rendeu mesmo, contudo, no feriado prolongado da segunda e terça-feira; passei os dois dias sentadinha me dedicando ao meu resumo porque estava realmente com bastante medo dessa prova. 
Quando o estudo para de render, gosto de ver algum vídeo no Youtube, assistir algum episódio de série ou ficar descobrindo funções novas em apps e editando fotos toscas como podem perceber haha. Mas ficou fofo, vai?
E, por fim, o resumo prontinho, só esperando os sublinhados. Ah, essa foto é lá do meu Snapchat - sou @fehzenatto por lá!


Não lembro exatamente quando foi que pedi essa batata recheada do Mr. Batata mas ela é deliciosa e o preço super justo. Só que é batata, né?! Mesmo assim estava muito saborosa e valeram as calorias pra dar energia!


A semana começou na quarta-feira já com prova e acabou rapidinho. Não fui à academia, não fiz dieta mas descansei bastante depois da prova que, ainda bem, foi tranquila. 
Sexta-feira foi dia de arrumar as malas para ir até Novo Hamburgo matar saudades do namor. Fiz um look bem lindinho que acabei repetindo no finde e vou postar pra vocês - por isso, tem apenas os detalhes dele por aqui: o batom roxo/rosa maravilhoso, o colar de moedinhas e a t-shirt lindaaa!


Sábado fomos ao Jardim do DMAE, em Porto Alegre, para tomar nosso chimarrão de todos os finais de tarde. E UAU, fiquei completamente apaixonada por esse lugar. Cada cantinho tinha um charme, um detalhe, dá vontade de fotografar tudo! E fiquei imaginando como deve ser ainda mais incrível na primavera com todas as flores floridas e coloridas.
Indico demais para quem quer um passeio tranquilo, conhecer mais a capital e relaxar

Eu e namor estamos assistindo juntos a The Strain, a série do Guillermo del Toro, e estou gostando bastante. Mas o que me deixou de queixo caído mesmo foi ter assistido ao episódio 21 da 11ª temporada de Grey's Anatomy! Apesar de ter pego o spoiler do episódio na sexta-feira, chorei vendo e estou com o coração verdadeiramente partido porque, apesar de amar a série, não aguento a Meredith - e chega porque não quero ser espalhadora de spoilers haha.

Domingão foi dia de voltar pra Pelotas e começar mais uma semana que vai ser agitada e diferente - estou fazendo vlog pra vocês!
Enquanto isso, me segue no Instagram e no Snapchat (@fehzenatto) para acompanhar tudinho!

Que a semana seja incrível!
Beijos.

Na Real: Quimono e Burgundy


A desaparecida apareceu haha. Ai, que saudade que eu estava de cuidar aqui do meu cantinho!
Acabei aproveitando o feriado para namorar um pouquinho e estudar um montão porque tive prova hoje, então, acabei ficando longe mas voltei com tudo. E com um look que tem uma das peças preferidas do meu guarda-roupa todo: esse quimono maravilhoso que foi feito ao reformar um robe da minha mãe (diminui o comprimento, acinturei e coloquei as franjas).

Já usei ele muito e de diversas maneiras e sempre tem alguém que elogia. Nesse dia, fiz uma composição bem simples de calça encerada e regatinha e, claro, o protagonista foi ele! 
Sei que os quimonos tiveram uma explosão recentemente e todo mundo usou muito mas eu gosto da peça há tempos, desde que ela era só uma tendência tímida, e ainda não enjoei; continuo achando lindo porque complementa os looks perfeitamente.

Quimono REFORMADO

Bolsa SEM MARCA

Brinco ARMÁRIO DA NEIDE

Calça CLOCK HOUSE DENIM - C&A
Regata HERING

Sapatilha DAKOTA


É um look bem simples mas preciso confessar que amei ele! 
O que vocês acharam? Fariam algo diferente?

Beijos.

Fotos: Namor (obrigada, meu príncipe!)

Acabei de ler: Se você me chamar eu largo tudo... Mas por favor me chame - Albert Espinosa


Semana intensa com resenha de livros por aqui, né?! 
Precisei correr com as resenhas para deixar tudo em ordem com o Grupo Editorial Record e sei que já prometi isso mas vou tentar não deixar acumular para o mês que vem, ok?? Me desculpem.
Mas tenho certeza que vocês vão adorar a resenha de hoje porque é de um livro beeem especial.


Se você me chamar eu largo tudo... mas por favor me chame é o título desse livro que, garanto, tem uma história tão linda quanto o título. Foi escrito por Albert Espinosa e é um dos lançamentos de março da Verus Editora, um dos selos do Grupo Editorial Record


ASPECTOS FÍSICOS
Além do título lindo, a capa toda desenhada em aquarela chamou demais a minha atenção para o livro. Acho ela de uma poesia incrível e a história segue essa mesma linha. Te detalhes em azuis na lateral e nas orelhas e também verniz localizado.
Cada um dos 22 capítulos inicia com a frase que o marca nessa fonte que eu acho linda. E acreditem cada título é mais lindo que o outro. No resto do livro, não há outros detalhes mas o tipo e o tamanho da fonte, os espaçamentos e as margens são bons.


HISTÓRIA
É até difícil escrever uma sinopse para o livro mas farei meu melhor.
Começamos a acompanhar Dani quando a esposa o deixa, o que acaba levando-o a relembrar antigas memórias de sua vida, pessoas e fatos que o marcaram profundamente e que pareciam estar esquecidas.
Em meio a isso, Dani precisa voltar à ilha de Capri para mais um trabalho - ele ajuda a encontrar crianças desaparecidas. Mas a ilha também tem um significado para ele e fará com que ele repense suas atitudes. 
Aos poucos, vamos conhecendo mais da personalidade doce e da vida conturbada de Dani que conta-nos em primeira pessoa e sem esconder suas culpas e erros como é e porquê é exatamente assim.


OPINIÃO
O livro é altamente inspirador e tocante. Ele não nos conta apenas uma história sobre um personagem com uma vida diferente, ele faz com que pensemos e reflitamos em cima dessa história para que possamos rever essas atitudes em nossas próprias vidas.
Sem dúvida alguma, o livro me tocou. Foi lindo!
Enquanto conta os fatos que vai lembrando ou que vão acontecendo em sua vida, Dani, o personagem-narrador, junta a isso uma série de ensinamentos e palavras lindas. 

A história pode parecer boba e se formos analisá-la apenas em fatos, realmente, nada de extremamente chocante acontece - apenas um fato dela me deixou boquiaberta. O livro não se trata de ação, suspense ou lágrimas e, mesmo assim, é impossível largá-lo antes de terminar.

A escrita não é linear e o narrador se permite ir e voltar em diferentes épocas e histórias de sua vida. Eu sou uma pessoa ansiosa e fiquei um pouco aflita com esses saltos que ocorriam antes de que aquele trecho findasse mas é justamente essa não linearidade que deixa o livro interessante e viciante

No final, ao fechá-lo, será impossível não sorrir e não guardar diversos ensinamentos e reflexões para si
Afinal, se existem outras 4 pessoas no mundo que existem para tocar nossos corações, para modificar o rumo de nossas vidas, onde elas estão? Será que você já as encontrou? Conseguiu sentir essa conexão imediata que une dois seres humanos totalmente diferentes?


TRECHOS
❤ "Todo casal tem seu código para discutir, para fazer amor, para se perdoar e até para se repreender mutuamente."
- Pág. 18

 "Desejava que existisse uma pessoa assim no meu mundo... Uma mãe ou um pai que me ligasse para me perguntar se vou comer nesse domingo, se estou bem, se estou feliz, se tenho cuecas suficientes, se estou guardando dinheiro, se estou convencido de que quero continuar com essa garota, se vou ter filhos com ela e quanto e como os educarei."
- Págs. 70 e 71

❤ "Meu ódio contra alguém que rouba parte da infância de uma criança é muito grande. Para mim, esse é um dos piores crime que existem, o roubo da inocência..."
- Pág. 95


Afinal, como não amar um livro cuja dedicatória é: A todos que continuam querendo ser diferentes e lutam contra aqueles que desejam que sejamos iguais....

O livro já está disponível para venda na Amazon, Saraiva e Cultura. Você pode ver outros livros da Verus Editora, clicando aqui e todas as informações sobre o Grupo Editorial Record, aqui!
Me adiciona no Skoob pra gente trocar dicas, opiniões e mais sobre livros lindos!

Beijinhos (e procurem esse livro, gente, sério!).
EI, LEITOR! O livro foi enviado pelo Grupo Editorial Record, devido à parceria que o blog tem com a editora. O blog não recebe qualquer pagamento para resenhar e divulgar o livro, expondo sempre a opinião sincera em relação à leitura!

Acabei de ler: O Todomeu - Andrea Camilleri


A resenha de hoje é do livro O Todomeu, escrito por Andrea Camilleri e publicado pela Editora Bertrand Brasil e que, apesar de curtinho (139 páginas), possui uma história bastante diferente e envolvente. É um dos lançamentos do Grupo Editorial Record do mês de março.


ASPECTOS FÍSICOS
Eu adoro capas de livro que conseguem de alguma forma pouco óbvia representar o assunto abordado no livro e essa capa é um belo exemplo disso. Ela é bem escura e o clima do livro é bem sombrio também e, junto a isso, há a silhueta de um corpo e uma porta no fim de uma escada, apenas incrível o quanto tem a ver com a história. Além disso, a capa tem aquela textura um pouco aveludada, sabem? É agradável ao toque.
Os detalhes das orelhas são verde limão e gostei dela para abrir um pouco o preto. 
As páginas não têm detalhes mas o tipo e o tamanho da fonte, o espaçamento e as margens são ótimos.


HISTÓRIA
O livro é bem curtinho e a história dele mais parece um conto do que uma história de livro propriamente. Alterando entre o presente e o passado de Ariadne, vamos descobrindo mais sobre a personalidade confusa, misteriosa e às vezes infantil dela. 
Atualmente, Ariadne é casada com Giulio, um homem mais velho que ela que a apoiou em um momento difícil da vida de ambos. Os dois parecem ter uma relação sincera e verdadeira, exceto pelo problema de Giulio que impede que eles tenham uma relação de casal completa.
Ao perceber a dificuldade de Ariadne, Giulio faz uma proposta para que ela fique mais feliz, desde que continue não havendo segredos entre o casal. O presente gira em torno desse ritual do casal e das sua consequências.
Já com as cenas do passado, vamos descobrindo que a vida de Ariadne não é um livro aberto nem para ela mesma.


OPINIÃO
O livro é extremamente envolvente e adoro começar um livro sem ter a mínima ideia do que esperar dele. Eu sabia que era uma história de suspense mas a sinopse não me dizia muito e o título também não (aliás, procurei e acho que Todomeu não existe como palavra portuguesa e acho que o título seja no sentido de todo meu).
As poucas páginas e o ritmo alucinante que a escrita impõe ao alternar histórias interessantes tanto no passado quanto no presente, fizeram com que eu devorasse o livro em dois dias - mas dá pra ler em apenas algumas horas. 

O enredo é completamente diferente de tudo que já li chegando a ser psicótico mas não quero falar muito sobre isso porque gostaria que quem fosse ler, tivesse essa mesma sensação de curiosidade que eu tive. Só posso dizer que desde o início a história é estranha, faz que a gente franza o rosto, olhando com desconfiança para o que estamos lendo. 

Eu falei ali em cima que o livro mais parece um conto e é exatamente isso. A história é totalmente ação e é isso que torna o livro tão eletrizante. Mas também é isso que traz um ponto negativo para mim porque eu gosto de explicações para os acontecimentos e o livro não dá isso para o leitor; ao acabar, fiquei completamente envolvida e querendo mais, esperando entender os fatos. Isso não acontece e pode decepcionar alguns leitores - oi! - mas não tira todo o esplendor do suspense.

Sem dúvida, O Todomeu é um livro incomum, com uma escrita envolvente e fluída, um enredo diferente e uma personagem extremamente dúbia. A história é tão incrível que vale a leitura mesmo sem as explicações ao final.


TRECHOS
❤ "Deus do céu, como cheira bem!
Como pão recém-saído do forno.
O mesmo cheiro de quando, ainda menina, sua avó depositava na palma de sua mão o pãozinho redondo, preparado especialmente para ela, e o segurava firme, deixando que queimasse sua pele, de forma que o perfume perdurasse por mais tempo.
Não resiste. Com a ponta da língua, começa a lambê-lo."
- Pág. 21

❤ "Se não fosse de carne e osso, mas de mármore e bronze, seria a perfeita alegoria da dor de quem perde uma pessoa muito amada.
O que iria fazer? Prosseguir ou oferecer algum tipo de ajuda?
Parou o carro, se aproximou dela.
A jovem não percebeu, continuava chorando e, num dado momento, colocou o dedo indicador na boca.
E então foi como se aquele sentimento de solidão que emanava dela se tornasse ainda mais agudo, ainda mais doloroso."
- Pág. 40

❤ "- Pega a espingarda e aponta para mim. Cuidado que está carregada.
Ela pega a arma, segurando a coronha com as duas mãos, os cotovelos apoiados na mesa.
Ganzella aproxima o olho do primeiro cano, tentando deixar penetrar um pouco de luz da lanterna."
- Pág. 102


O livro já está disponível em e-book. Para acompanhar todas as novidades, lançamentos e notícias do Grupo Editorial Record, clica aqui, e da Bertrand Brasil, aqui!

E para me acompanhar literariamente, me adiciona no Skoob e vamos trocar dicas!
Beijos.
EI, LEITOR! O livro foi enviado pelo Grupo Editorial Record, devido à parceria que o blog tem com a editora. O blog não recebe qualquer pagamento para resenhar e divulgar o livro, expondo sempre a opinião sincera em relação à leitura!