5 coisas que eu não gosto na blogosfera atual


Há 2 meses atrás, eu estava querendo conhecer novos blogs, ler posts diferentes dos que normalmente leio e enquanto navegava nesse mundo tão amado da blogosfera, encontrei um blog (que, infelizmente, não lembro qual era) que me direcionou para o Rotaroots. O Rotaroots é um grupo no Facebook de blogueiros que visam recordar os áureos tempos da blogosfera antiga, onde ninguém ainda tinha se profissionalizado nesse ramo, onde indicações eram realmente de blogs amados e os posts não se repetiam nunca no seu blog e em outros mais. 

Eu amei a proposta do Rotaroots e, desde então, tenho acompanhado o grupo no Facebook que é muito ativo e muito cheio de amor. 
Todo mês os organizadores disponibilizam uma lista de temas para possíveis pautas e, pela primeira vez, resolvi aderir. 

O meme que escolhi responder esse mês é o Cinco coisas que eu não gosto na blogosfera atual. Já que o Rotaroots tem essa proposta de resgatar o espírito da blogosfera antiga e agosto é o mês dos blogs, acho que não há tema melhor!


1. Blogs que, de tão profissionais, deixam de ser pessoais
Tenho uma lista extensa de blogs que eu amava muito mas que fui perdendo o interesse porque a blogueira decidiu parar de falar de coisas mais pessoais e focar mais no conteúdo estilo revista. E acho que a blogosfera atual faz com que mais e mais blogueiras queiram fazer isso porque um blog menos pessoal é mais vendável; contudo, para mim, blogs que não são pessoais - nem que seja um pouco - não são blogs atrativos.

2. A extrema necessidade de ganhar dinheiro com o blog
Por que tudo que fizemos na vida precisa ter um retorno financeiro? No começo, dedicávamos muito mais tempo para os blogs e não ganhávamos nem um centavo em troca. Hoje em dia, muitos acham absurdo a dedicação de produzir conteúdo sem retorno financeiro. 
O Coisa e tal nunca me deu retorno financeiro e, mesmo assim, eu nunca pensei em abandoná-lo - por mais que, às vezes, a situação me obrigue a fazê-lo - e também nunca deixei de amar bloggar por conta disso. O dinheiro deveria ser um extra mas a blogosfera atual o tornou um requisito básico.

3. Grupo fechados 
O objetivo inicial de um blog, para mim, é expressar a sua opinião de um modo bem pessoal mesmo. E fui descobrindo com o tempo que uma das consequências mais legais disso é conhecer muitos blogs, muitas pessoas e muitas opiniões. Por isso que os grupos fechados de blogueiras me incomodam um pouco; é claro que criamos vínculos e isso é extremamente natural mas não expandir suas indicações e suas visitas é chato e prejudicial.

4. Posts com pouco texto
Todo mundo que acompanha o Coisa e tal já percebeu que eu gosto mesmo é de escrever. Nunca soube tirar boas fotos e nem encontrar uma boa imagem mas, com o tempo e a necessidade, fui aprendendo algumas coisinhas. Mesmo assim, a essência de um blog para mim continua sendo o texto, não adianta ter imagem e não adianta ter vídeo; eu gosto de letras e palavras. 

5. A incessante busca por números
Todo mundo gosta de receber um retorno no post que recebeu, seja por visitas ou por comentários. Mas a necessidade constante de fazer tráfego me incomoda demais; isso faz com que muitas vezes se poste mais do que o necessário e que nem se consiga dar toda a atenção para cada leitor. E isso me incomoda.

Chatinha eu, né? Hahaha
Alguém mais concorda com alguma das minhas reivindicações ou sou uma lutadora solitária?

E, apesar de tudo isso e outras coisas mais, continuo achando a blogosfera um ótimo lugar para viver hahaha. De verdade, a cada dia, encontro blogs lindos e com conteúdo diferenciado e interessante. 

Se você é blogueiro e ainda não conhece o Rotaroots, vem logo!
Beijos.
EI, LEITOR! Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots, um grupo de blogueiros que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Quer participar? Faça parte do grupo no Facebook!

Na Real: Jeans, Turquesa e Pink


Gente, tenho TANTA coisa pra compartilhar aqui no blog com vocês, a vida está uma correria só mas sumi mesmo porque meu computador apagou e estou em busca de comprar um novo que seja bom para as minhas necessidades e não custe demais. Enquanto isso, fiquei afastada do mundo online! Mas voltei - e voltei com look!

Usei esse look algumas semanas atrás para ir à faculdade e adorei ele. O all jeans que antes soava estranho, já parece tão comum pra mim e, mesmo assim, sempre acho que a produção fica descolada e interessante com essa combinação.
Mas o que mais gostei aqui foram mesmo os acessórios! Sou doida por esse colar com a pedra turquesa, ele é lindo e combina com muitas produções. Resolvi usar a minha bolsa pink para chamar a atenção para o look e acho que não ficou exagerado porque, se formos olhar o conjunto, o look e a pedra do colar são do mesmo tom.

Tênis CONVERSE - ALL STAR

Camisa RENONCE (Scarlet)

Bolsa SEM MARCA (comprei no Paraguai)

Calça CLOCK HOUSE JEANS (C&A)

Colar NÃO LEMBRO

Óculos de Sol VOGUE EYEWEAR
Batom SEM MARCA

O que acharam?
Beijinhos.

Obs.: Essas fotos maravilhosas e incríveis (não sei se gosto mais do look ou das fotos!) foram tiradas pelo André - meu namorado/fotógrafo/publicitário/músico!

Acabei de ler: O Assassinato de Margaret Thatcher - Hilary Mantel


Fazia muito tempo que eu não lia livros de crônicas/contos apesar de gostar do gênero e foi ótimo recomeçar com O Assassinato de Margaret Thatcher, da Hilary Mantel, lançamento de junho da Editora Record, porque as crônicas têm temáticas bem diferentes e são permeadas por um leve clima de suspense.


ASPECTOS FÍSICOS
A capa do livro fez meus olhinhos brilharem na mesma hora em que a vi primeira vez. Acho o trabalho da capa incrível porque é super instigante e desperta na hora a curiosidade do autor e, ao mesmo tempo, também gosto da harmonia da imagem com as fontes. 
O interior do livro não tem maiores detalhes. O estilo e o tamanho da fonte são agradáveis assim como margens e espaçamento.


HISTÓRIA
O livro contém 9 contos já publicados anteriormente da escritora (que eu, até então, não conhecia) e 1 inédito, o qual nomeia a obra. Todos os contos, por mais diferente que sejam em suas temáticas, são permeados por um clima de suspense e muita sinceridade sobre fatos cotidianos e nem tão cotidianos, podendo trazer no pacote uma sensação de choque. 
Durante o livro, são abordados assuntos como casamento, traição, morte súbita, assassinato planejado, assassinado imaginado e diferenças de classe.


OPINIÃO
Fiquei realmente surpresa de um modo bom com as crônicas de Hilary Mantel. Em 208 páginas, são apresentados 10 contos que podem parecer longos para o gênero mas que fluem veloz e naturalmente; na minha opinião, por dois motivos: as histórias surpreendentes (daquele tipo que não sabemos o que esperar no parágrafo seguinte) e a forma de escrita indireta da autora (que não faz questão de deixar as coisas perfeitamente claras e, com isso, permite que imaginemos parte da história).

Sempre que me perguntam qual o meu gênero preferido de livros, penso em suspense. Mas, ao parar para pensar, vejo que são poucos os livros de suspense que li que realmente estão na minha lista de preferidos. Contudo, acredito que isso se deva ao fato de que é muito difícil escrever um suspense que realmente consiga prender o leitor e deixá-lo tenso. Felizmente, O Assassinato de Margaret Thatcher conseguiu me deixar com aquela sensação de agonia gostosa do suspense clássico e, ao terminar o livro, fiquei morrendo de vontade de ler um livro inteiro da autora pra que essa sensação se prolongasse ainda mais. 
Aliás, se puder destacar um ponto negativo - que, ao final, é positivo - é esse: os contos são tão envolventes que, mesmo em poucas páginas, é possível entrar na história e é decepcionante que ela termine tão cedo. 

Os meus contos preferidos foram: Vírgula, O QT Longo, Férias de Inverno e O Assassinato de Margaret Thatcher: 6 de agosto de 1983.


TRECHOS
❤ "- Meu pai diz: "Se vire, Mary, ou você vai ter que ir para o reformatório."
- O que é isso?
- É onde eles batem na gente todo dia.
- Mas o que você fez?
- Nada, eles só fazem isso e pronto. 
Dei de ombros. Parecia bastante plausível." 
- Conto Vírgula, pág. 38.

❤ "Fevereiro: falaram em internar Morna; isto é, a mãe falou, detenção compulsória num hospital psiquiátrico[...].
- É inteiramente escolha sua - disse o pai. - Comece a comer, Morna, e não vai chegar a esse ponto. Eles não vão tentar persuadi-la com passeios nem assar aquelas merdas de bolinhos para você. Vão ter trancas nas portas e encher você de remédios." 
- Conto O coração para sem aviso, pág. 139.

❤ "- Na verdade, embora eu culpe o rapaz, você é parcialmente culpada.
- Como assim? - perguntou Marcella.
- Acredito que você saiba como. Você o provocou. Com leite achocolatado. Batatas fritas. Passas de chocolate. Implicando que a posição dele era de uma criança indefesa." 
- Conto A Escola de Inglês, pág. 203.


O livro já está disponível em livrarias físicas e lojas online (Submarino, Amazon, Saraiva e Americanas). E também já é possível encontrar em e-book.
Confere os outros títulos que fazem parte da Editora Record (site | facebook | twitter), tem muito livro bom e muita novidade chegando também!

Se quiser, me adiciona no Skoob e acompanhe as minhas leituras atuais. 
Beijos.
EI, LEITOR! O livro foi enviado pelo Grupo Editorial Record, devido à parceria que o blog tem com a editora. O blog não recebe qualquer pagamento para resenhar e divulgar o livro, expondo sempre a opinião sincera em relação à leitura!

Diário: Livros, Enteado e Felicidade


Finalmente, a dona desse blog resolveu aparecer com frequência por aqui! 
Confesso que não estava postando um pouco por falta de tempo e muito por falta de motivação; toda vez que eu pensava em algum assunto legal pra escrever eu achava que não era o momento ou era um post trabalhoso demais para o meu tempo curto. 
Mas fiquei animada com o BEDA (Blog Every Day in August) do Rotaroots e, apesar de não topar o desafio (talvez ano que vem!), me animei a postar mais! E hoje tem Diário por aqui!


A semana começou com uma surpresa deliciosa!
Eu tinha solicitado o livro Para onde vai o amor?, do Fabrício Carpinejar, pela parceria com o Grupo Editorial Record mas ele já estava esgotado. Tenho me tornado cada vez mais fã do autor conforme acompanho suas crônicas e fiquei com muita vontade de ter o meu primeiro livo dele. Já conformada e tendo recebido os outros livros do mês, o Grupo Editorial Record mandou para mim o livro!
Fiquei muito muito feliz. Muito obrigada pela consideração e pelo cuidado! Amei!
E ainda ganhei uma curtida do próprio Carpinejar nessa foto no meu Instagram!


Livros nunca são demais! 
Acho que, depois de um mês bem atordoada com a mudança de rotina, estou finalmente conseguindo colocar tudo em ordem, tenho inclusive conseguido ler mais! E isso me deixa extremamente feliz.
Esses são os 4 livros que estão me acompanhando no momento. 

O primeiro é Primavera, do Oskar Luts, da Editora Biruta, que eu terminei de ler na quarta-feira e, ainda essa semana, tem resenha dele por aqui. Depois, os dois livros do Grupo Editorial Record que estou lendo, O Assassinato de Margaret Thatcher, da Hilary Mantel e Você (não) é o homem da minha vida, da Alexandra Potter. O Nome da Rosa, do Umberto Eco, na edição da Nova Fronteira é uma leitura arrastada na minha vida - comecei ainda em janeiro - mas que está andando agora. 

Tenho um fila enorme de livros para serem lidos, outra para serem comprados e eu amo isso!


No sábado passado, o André machucou o pé durante o jogo de futebol e acabamos passando o início da semana em consultas e hospitais para tentar descobrir se havia fratura ou não e aliviar a dor. Contudo, o grande choque pra mim aconteceu na quarta quando ele decidiu cortar a barba e ficar apenas com o cavanhaque hahaha. Nunca tinha visto ele sem barba e demorei um pouquinho pra me acostumar; muda muito!

Quarta e quinta o Otávio, meu enteado, ficou na casa do André. O dia estava incrível demais na quinta-feira, com um sol e um calor super gostosos e resolvemos aproveitar os três juntos indo passar o final da tarde no Laranjal. 
Já falei do Laranjal por aqui, é a "praia" de água doce de Pelotas e é um lugar super gostoso. Tiramos muitas fotos lindas - inclusive desses cachorros se divertindo muito na água.
À noite, fui em mais uma aula do Medcurso e quem me acompanha no Snapchat (fehzenatto) já sabe o quanto eu amo as aulas deles! Meu amor pela medicina revive!


Sexta foi um dia importante pra mim porque acabei o primeiro mês do estágio da Clínica Médica, além de ser o primeiro mês como doutoranda, também é um dos estágios mais puxados de todos do Internato, então, tive que comemorar. Meu presente para mim mesma foi um almoço com mais calma (já que almoço agora virou artigo de luxo) e de comida japonesa que é a minha preferida da vida! Estava mais que delicioso!
De noite, foi hora de ficar em casa com a energia do André e do Otávio. Dois amorinhos lindos!


O passeio do finde foi para o Cassino. Acordamos cedinho no sábado e fui com o André e o Otávio até os molhes onde aproveitei o dia lindo com eles! Pescamos, brincamos nas dunas, comemos e foi incrível.
O resto do sábado e o domingo foram de descanso e estudo pra começar a nova semana e o novo mês com ânimo renovado, alma leve e felicidade transbordando.

Pra acompanhar minha rotina, me segue no Instagram! E pra ver os desabafos, a cara sem make e mais, me adiciona no Snapchat (fehzenatto)!

Uma ótima semana pra gente!
Beijos.

Imagens Inspiradoras: Brincos e Piercings na Orelha


Post bom é aquele em que a própria blogueira começa a escrever sem tanta certeza e acaba com uma vontade imensa de aderir àquela moda; esse é exatamente o caso de hoje.
Fui conferir a minha lista 'Posts a Escrever' e vi um Imagens Inspiradoras com ideias de piercings e brincos na orelha, muitas peças mas todas bem delicadas e femininas.
Eu sempre achei linda a orelha assim mas fico pensando em duas coisas quando vejo as imagens: como deve ser difícil fazer combinações legais e como deve doer furar a orelha tantas vezes - tenho um piercing na hélice da orelha e foi, sem dúvida, o mais dolorido de fazer.

Contudo, pesquisando as imagens pro post fiquei com MUITA vontade de ter, no mínimo, mais um furo para brinco (só tenho um) e mais dois piercings. Quem sabe, né?!
Vamos ver convenço vocês também.

Acho linda essas argolinhas! Quero colocar uma no tragus.

É lindo assim também, só com brilhinhos. Fica mais fácil de combinar com o brinco no furo principal sem virar carnaval.

Não dá vontade de ir direto colocar todos esses piercings e comprar muitos brincos lindos para criar as composições? Eu fiquei morrendo de vontade!

Beijos.

Fotos: Pinterest

A vida, a faculdade, o coração


Começo a escrever esse texto - e esse post - sabendo que ainda preciso estudar os tópicos do que vi hoje, jantar, organizar meu apartamento, ler pelo menos um capítulo do meu livro e, por fim, descansar. Já sabendo também que provavelmente não conseguirei riscar todos esses itens da lista porque não venho conseguindo desde que iniciei uma nova fase da minha vida.
Ao mesmo tempo em que sei de todas as coisas que preciso fazer e que talvez todas elas sejam mais importantes do que postar no meu blog, sinto-me em dívida com esse cantinho pelo qual tenho tanto carinho e no qual sempre desabafei. 
Por isso, cá estou. E estou para falar de mim como sempre ocorreu nesses 7 anos de Coisa e tal.


Há 2 meses, a vida me pegou de surpresa e fez questão de me mostrar que muitas das certezas que eu tinha para mim e para minha vida não eram tão certas. Gosto que seja assim; ao mesmo tempo em que é desesperador não estar no controle de tudo, não estar no controle de tudo também é libertador. 
Há 2 meses, a vida mudou e me trouxe de presente para marcar essa nova fase um anjo que me deu a mão e divide comigo até hoje as dificuldades, a rotina, os estresses, os problemas e o coração. Olhar para o lado e saber que você pode encontrar moradia também no coração de outra pessoa traz uma paz indescritível. A paz de quem encontrou seu lugar no mundo. 
E, assim, o coração vai bem. 

Parece que fechei os olhos aos 17 anos como uma caloura na universidade e abri agora, aos 21, como doutoranda há exatos 9 dias - que de tão longos parecem 6 meses. 
Sei que quando tiver meu CRM (o registro médico), essa fase da vida parecerá nada mais do que uma brincadeira de criança, contudo, hoje, essa fase tem me trazido uma consciência da profissão que escolhi, da responsabilidade que ela carrega e do que vou viver pelo resto da vida como nunca tive nesses 4 anos anteriores. 
Além de toda a mudança na rotina diária - que virou muito mais prática do que teórica -, ainda estou começando um cursinho já me preparando para a próxima reviravolta que a minha dará, aquela que virá acompanhada de uma assinatura e um carimbo. 


Sinceramente, tenho muita vontade de pular essa parte que, apesar de extremamente enriquecedora, é também muito cansativa e ir direto para aquela onde trabalho, faço meu próprio horário, ganho meu dinheiro, tenho minha casa. 
Por outro lado, porém, estou vivendo os dias tão intensamente e tão apaixonadamente que sinto que reavivei algo dentro de mim que eu nem sabia mais que me habitava e que eu, por suposta maturidade, pensei ser coisa de adolescente. 
Não é imaturidade amar e demonstrar o amor assim como não é imaturidade ser feliz por detalhes tão simples como um passeio na praia. 

2015 está só na metade mas já conseguiu deixar marcas em mim para a vida toda. Que esse ano continue trazendo surpresas, que eu possa continuar dividindo-as com um homem tão especial e que aprenda a cada dia que amor não se esgota e felicidade é estado de espírito - é sentir-se feliz e, por assim sentir-se, estar e por estar, ser.

Beijos cheios de amor.

Na Real: Um Ponto de Cor


Fui passar o feriado de Corpus Christi em Flores da Cunha e como uma pessoa prevenida que odeia frio, levei roupa para encarar o frio que eu imaginava que faria por lá. No final, os dias foram super agradáveis e não usei quase nenhuma das roupas que levei.
No sábado, eu e a Isa fomos comer um delicioso rodízio de pizza e acabei usando a minha saia preta - que levei pensando em usar com meia-calça. Coloquei por cima só uma blusa de bolinhas e um lenço depois de provar diversas malhas e não gostar de nenhuma.

Achei que toda a graça do look ficou por conta da clutch vermelha, uma peça antiguinha da minha mãe que eu acho linda! Ela, junto com as bolinhas, trouxe uma alegria para a roupa mesmo ela sendo bem escura.

Bota RAMARIM

Saia BOKA MEL

Lenço SEM MARCA
Clutch ARMÁRIO DA NEIDE

Blusa TOP LIST
Brinco ARMÁRIO DA NEIDE

Look simples mas que acabou me agradando e sendo perfeito para a ocasião.
O que acharam?

Se quiserem ver mais look, dá uma olhada no meu Lookbook.
Beijos.